Left Sidebar Page Type Image
2014 VOLUME 2.2


EDITORIAL

A relação entre investigação científica e prática profissional


ARTIGOS

Interferências da forma urbana na dinâmica da temperatura intra-urbana 
P. Drach e R. Emmanuel 
{+}Abstract   [PDF]

As perspectivas de mudanças climáticas e suas possíveis consequências recomendam o desenvolvimento de estratégias para mitigar problemas relacionados ao sobreaquecimento urbano. O presente estudo tem como objetivo examinar a interferência da forma urbana, aferida pela Fracção de Céu Visível (Sky View Factor, SVF), sobre as variações na temperatura intra-urbana na cidade de Glasgow, Reino Unido, uma cidade de clima frio. 49 pontos de medição foram locados no centro da cidade e foram desenvolvidas 31 campanhas de coleta de dados, durante a primavera e o verão de 2013. Para cobrir uma grande área dentro de um tempo relativamente curto, foi utilizado o método de ‘transecto’ com rotas pré-determinadas, a pé e de bicicleta. O software ArcGIS foi utilizado para visualização dos resultados. Os resultados indicam que a variação da diferença da temperatura intra-urbana está fortemente relacionada à estabilidade atmosférica, sugerindo que esta tem realmente um importante efeito nessa variação. O estudo conseguiu apontar ainda, conforme esperado, que a vegetação e os materiais de cobertura urbana desempenham um papel importante, interferindo no clima local. O conhecimento das interferências nas variações de temperatura local pode ser mais um aliado na elaboração de estratégias apropriadas para lidar com os problemas do sobreaquecimento urbano.


Transformação da forma urbana paulistana
P. Gonçalves e M. Guimarães 
{+}Abstract   [PDF]

Este artigo pretende investigar as transformações ocorridas na configuração do tecido urbano da cidade de São Paulo, Brasil, bem como a relação estabelecida pela edificação, determinada por sua implantação nos lotes resultantes do modelo de parcelamento adotado e correspondente legislação edilícia vigente em cada período. O estudo partiu da organização de uma periodização histórica e estilística tradicional, percorrendo de forma cronológica os acontecimentos políticos, economicos e sociais. Busca identificar as transformações decorrentes de cada um deles, partindo do período de colonização brasileira pelos portugueses e seus modelos de construção das cidades, passando pelos estágios de monoculturas agrárias durante o neocolonialismo e o neoclássico do Império, pré e efetiva industrialização na República do ecletismo, chegando até a instauração da República Nova, momento no qual se estabeleceram e difundiram os ideais do Movimento Moderno, nas artes e na arquitetura. Utilizou-se como área de estudo o bairro da Mooca, com sua localização estratégica e diversificação demográfica, fatores que fizeram parte integrante dos principais momentos de transformação do tecido urbano paulistano, possibilitando que dele se extraíssem exemplares remanescentes dos principais tipos identificados.


Entre a tradição e a modernidade: um quarteirão aberto nas Avenidas Novas em Lisboa 
P. Pinheiro 
{+}Abstract   [PDF]

Há em Lisboa poucos quarteirões com o seu interior aberto à cidade. Os existentes surgiram em torno de 1940, ano da Exposição do Mundo Português, o certame de afirmação do regime de ditadura e a marca, no tempo, da inflexão na política de modernidade da nação. É um ano importante para a arquitetura portuguesa porque significa o início de um novo ciclo após uma década de abertura do regime à construção de obras claramente referenciadas à arquitetura moderna que se fazia na Europa. Precisamente nesse ano, 1940, o arquiteto Maurício Trindade Chagas elabora o projeto para um quarteirão de habitação com esta particularidade moderna: o seu interior é acessível à utilização pública, é possível atravessá-lo através de um eixo longitudinal com vocação pedonal. Este quarteirão ergue-se em frente à Casa da Moeda, um edifício moderno, então recente, e de clara influência da arquitetura holandesa. Este artigo caracteriza a ambivalência conceptual do projeto: a linguagem do Estado Novo e a modernidade do tipo de quarteirão adotado. Para tal enquadram-se os acontecimentos no tempo e identificam-se os modelos de influência na concepção deste quarteirão.



PERSPETIVAS [PDF]

Compreender o holon 
A. Perdicoúlis

A forma urbana em Moçambique: projeto, intervenção e investigação 
D. Viana e J. Laje

Regiões morfológicas  
V. Oliveira e C. Monteiro


RELATÓRIOS  [PDF1]  [PDF2]

21st International Seminar on Urban Form  
I. Morley 

Morfologia Urbana e Progetto 
V. Oliveira 

Colloquium on Mediterranean Urban Studies  
TÜnlü

3.º Seminário Território e Cidades do Norte Atlântico Ibérico 
D. Viana

Rede Lusófona de Morfologia Urbana (PNUM): 2013-14 
V. Oliveira


BOOK REVIEWS [PDF]

P. J. Larkham e M. P. Conzen (2014) Shapers of urban form 
V. Oliveira

V. del Rio e W. Siembieda (2013) Desenho urbano contemporâneo no Brasil 
S. A. P. Costa


NOTÍCIAS

Urban Morphology
PNUM2015: Configuração urbana e os desafios da urbanidade
Workshop PNUM – Diferentes abordagens no estudo da forma urbana