Left Sidebar Page Type Image
2017 VOLUME 5.1


EDITORIAL

Regulação da forma urbana e regulação do uso do solo



ARTIGOS

Estratégia projetual e configuração urbana: estudo morfológico de duas cidades novas no Brasil de meados do século XXDesign strategy and urban configuration: morphological study of two new towns in mid-twentieth century Brazil
R. L. Rego, A. Hollatz, G. Cardoso e M. Tavares
{+}Abstract   [PDF]

Cianorte e Angélica são cidades novas planejadas em frentes pioneiras de colonização agrícola no interior do Brasil. Ambas traçadas nos primeiros anos da década de 1950, cada uma delas se filia a uma tradição urbanística específica: Cianorte fez ressoar tardiamente a noção da cidade como obra de arte, conjugada com princípios formais do ideário cidade jardim; Angélica concretizou precocemente no país o urbanismo racionalista da cidade funcional. Contrastando as duas formas urbanas, este trabalho explora as estratégias adotadas por seus projetistas e trata de apontar potencialidades e fragilidades destes traçados. Como resultado, este estudo morfológico revela, por um lado, a conformação de uma cidade moldada por preceitos clássicos de composição e a criação de uma paisagem urbana única, e, por outro, de uma cidade radicalmente moderna, funcionalmente padronizada e uniforme. Nos dois casos, a estratégia projetual repercutiu no desenvolvimento da forma urbana: em Angélica o uso e a ocupação do tecido urbano não se sujeitaram à configuração modernista e revolucionária dos elementos morfológicos; em Cianorte, o crescimento urbano ignorou o projeto da cidade bela e deixou de materializar o urbanismo proposto.


‘Uma Cidade Industrial’ de Tony Garnier: repensando a gênese do urbanismo progressista, no centenário de sua publicação‘The Industrial City’ by Tony Garnier: rethinking the genesis of progressive urbanism, in the centenary of its publication
R. M. Almeida
{+}Abstract   [PDF]

O arquiteto francês Tony Garnier, no início do século XX, lançou um plano de um novo espaço urbano, denominado ‘A Cidade Industrial’, proposta considerada radical para a época. Publicou em 1917 o livro denominado: Une cité industrielle, étude pour la construccion des villes, recebendo muitas críticas nos meios acadêmico e técnico. Anos mais tarde, esse livro foi considerado por muitos autores como uma das mais significativas publicações da urbanística do século XX, tornando-se fonte de inspiração de propostas de arquitetos progressistas como Le Corbusier, repercurtindo significativamente na forma urbana das cidades pelo mundo. Em 2017, completam-se 100 anos da publicação de Garnier. Mais do que comemorar, os profissionais que trabalham com as práticas urbanas devem refletir sobre a amplitude da proposta da Cidade Industrial. Este artigo procura analisar os elementos da forma urbana propostos por Garnier, apresentados em seu livro, bem como, as repercussões do uso desses elementos e a importância que representaram para a arquitetura e o urbanismo. Utilizou-se para desenvolvimento das análises pesquisa documental realizada no livro de Garnier e em publicações de renomados críticos da questão urbana. Conclui-se, dentre outros, que, apesar de transcorridos anos de publicação, a adoção de muitos dos elementos enunciados por Garnier para definir a forma urbana da Cidade Industrial ainda legitimam projetos e práticas urbanas contemporâneas de diversas escalas.


 

PERSPETIVAS [PDF]

A tipologia dos traçados urbanos como indicador de poderes concentrados ou dispersos.
E. Z. Monteiro

A cidade como promotora de saúde pública.
D. Pires

Forma urbana e clima – uma relação reforçada pelos desafios das alterações climáticas.
L. M. Batista

Morfologia urbana e ambiente.
O. Oliveira

A influência da forma urbana na eficiência metabólica das cidades: uma reflexão à microescala urbana.
R. Fernandes

Morfologia urbana e biologia: a cidade como organismo.
C. Monteiro

A dimensão urbana nos cursos de arquitetura.
V. Oliveira

O território instável da urbanística na arquitetura: conceitos e instrumentos que definem um lugar próprio?
S. Sucena

O processo urbano no ensino da arquitetura.
J. Flores

O ensino da arquitetura: a arquitetura com consciência urbanística.
R. Mealha

Aceder, ver, perceber: frentes de água em perspetiva.
R. Ochoa

O crescimento da cidade de Guimarães e a evolução da sua estrutura espacial.
M. Oliveira, M. Barbosa e M. Viana

Apreensões sobre a metodologia Morpho.
B. Zaitter



RELATÓRIO  [PDF] 

1º Congresso do ISUF-Hispânico, Toledo, 2016.
C. M. Utanda



NOTÍCIAS

Urban Morphology
PNUM 2018: A produção do território – formas, processos, desígnios
ISUF 2017: City and territory in the global era
3º Workshop PNUM